Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página

Histórico do CMP

Acessos: 4472

Síntese Histórica do Comando Militar do Planalto

   Ao final da década de 1950, em função do processo de transferência do Distrito Federal do Rio de Janeiro para ainda em construção Brasília, era necessário dotar a nova Capital de um contingente do Exército que atendesse as demandas de segurança e defesa do Governo Federal em implantação no Planalto Central.
   Em 1958, um aquartelamento de madeira, próximo ao Palácio da Alvorada, foi a sede da primeira Organização Militar do Exército Brasileiro presente na nova Capital Federal, constituindo-se no embrião do Comando Militar do Planalto.
   Em 25 de abril de 1960, quatro dias após a inauguração de Brasília, foi criado o Comando Militar de Brasília e 11ª Região Militar, pelo Decreto-Lei nº 48.138, da Presidência da República e de conformidade com o Art. 3º, do Decreto-Lei nº 41.186, da Presidência da República, de 20 de março de 1957, abrangendo os territórios do novo Distrito Federal, do Estado de Goiás e o Triângulo Mineiro.
   O primeiro Comandante foi o General-de-Brigada Mário Poppe Figueiredo.
   Em 21 de junho de 1967, o Decreto-Lei nº 60.881, da Presidência da República, extinguiu o Comando Militar de Brasília, passando a 11ª Região Militar (11ª RM) a subordinar-se diretamente ao então I Exército, hoje Comando Militar do Leste (CML).
   Em 26 de fevereiro de 1969, por intermédio do Decreto-Lei nº 64.138, da Presidência da República, foi criado o atual Comando Militar do Planalto (CMP), com sede em Brasília, o qual passou a ser designado Comando Militar do Planalto e 11ª Região Militar (CMP/11ª RM).
   Em 5 de outubro de 1988, o norte de Goiás foi emancipado, passando a se chamar Tocantins, inserido na Região Norte. Em 1º de janeiro de 1989, o novo estado foi oficialmente instalado. A partir de então, a área de responsabilidade do CMP passou a compreender o  Distrito Federal, o Estado de Goiás, o Triângulo Mineiro e o Estado do Tocantins, excetuando a região ao norte desse estado, conhecida como “Bico do Papagaio”, que permaneceu sob a subordinação do Comando Militar da Amazônia (CMA).
   Em 23 de março de 1994, a 11ª RM tornou-se novamente autônoma, por desmembramento do CMP, permanecendo assim até os dias atuais.
   Em 11 de julho de 2013, o Decreto-Lei nº 8.053, da Presidência da República, criou o Comando Militar do Norte (CMN) e alterou as áreas de jurisdição dos Comandos Militares de Área e das Regiões Militares. Em consequência, o Estado do Tocantins passou integralmente para a responsabilidade do CMP e da 11ª RM.
   A Portaria nº 148, do Estado-Maior do Exército, de 30 de julho de 2013, que aprovou a Diretriz para Implantação do CMN, estabeleceu que a região do “Bico do Papagaio” passaria a ser área sob a responsabilidade do CMN, para fim de proteção integrada.

registrado em:
Fim do conteúdo da página